CEPLN Comissão Especial de Processamento de Linguagem Natural

A criação da Comissão Especial de Processamento de Linguagem Natural (CE-PLN) foi aprovada durante o XXVII Congresso da Sociedade Brasileira de Computação (realizado no Rio de Janeiro-RJ em Junho/Julho de 2007) por pedido das Profas. Dras. Maria das Graças V. Nunes (da Universidade de São Paulo - USP/São Carlos), Renata Vieira (da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUC-RS) e Vera L. Strube de Lima (da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUC-RS), que representavam a comunidade de PLN. A comissão reúne associados com interesses comuns na área de PLN.

A área de Processamento da Linguagem Natural (PLN), também denominada Lingüística Computacional ou, ainda, Processamento de Línguas Naturais, lida com problemas relacionados à automação da interpretação e da geração da língua humana em aplicações como Tradução Automática, Sumarização Automática de Textos, Ferramentas de Auxílio à Escrita, Perguntas e Respostas, Categorização Textual, Recuperação e Extração de Informação, entre muitas outras, além das tarefas relacionadas de criação e disponibilização de dicionários/léxicos e córpus eletrônicos, desenvolvimento de taxonomias e ontologias, investigações em lingüística de córpus, desenvolvimento de esquemas de marcação e anotação de conhecimento lingüístico-computacional, resolução anafórica, análise morfossintática automática, análise semântico-discursiva automática, etc.

Em seus processos, e no desenvolvimento de recursos, ferramentas e aplicações, a área tem uma forte interação interdisciplinar, principalmente com as áreas de Lingüística e Ciência da Informação, e no Brasil tem suas raízes na área de Inteligência Artificial.

O cenário gerado com a Internet e a demanda por serviços e produtos de Tecnologia da Informação tem ampliado ainda mais o campo de atuação do pesquisador desta área e impulsionado o mercado de trabalho.

O objetivo da CE-PLN é promover e representar a área de PLN no Brasil, apoiando e realizando eventos científicos, propondo e organizando meios de publicação e divulgação para a área e gerenciando listas e fóruns de discussão, dentre outras medidas.